Kung-Fu

É um sistema de luta desenvolvida na china. Surgiu das observações dos animais. Porém, ninguém sabe ao certo quando surgiu. Embora já tenha mais de 2.000 anos, a verdade nele continua novinha porque, vai se adaptando de tempos em tempos como uma arte tradicional.

A história do Kung Fu é cheia de muitas lendas e ciladas que tornam qualquer tentativa séria de transmitir uma história compreensiva e puramente factual quase impossível. A principal razão para isto é que a história de uma pessoa é a lenda de outra. Há muito poucas provas documentadas para sustentar qualquer história de Kung Fu, já que a maioria das histórias passa de pai para filho, oralmente, sem qualquer documentação escrita para comprovar. Sendo assim, tentarei cortar muito dos mitos e apresentar um relato claro. Se um relato for puramente lenda, será registrado como tal aqui.

Os primeiros registros fiéis de Kung Fu foram encontrados em ossos e cascos de tartarugas da dinastia Shang (1766-1122 a.C.), embora acredita-se que o Kung Fu se desenvolveu muito antes disso. Machados de pedra, facas e flechas foram desenterrados do período da China em recentes escavações. Na verdade, Huang-Ti, o terceiro dos Três Imperadores de Outono (embora alguns o considerem o primeiro imperador da China) usava espadas de cobre para o combate.

Ch’uan fa, ou estilo do punho, como era chamado o Kung Fu no começo, tornou-se muito popular, quando os guerreiros de Chou da China Ocidental derrotaram o monarca da dinastia Shang em 1122 a.C. Durante o período Chou, uma espécie de luta romana chamada jiaoli foi listada como um esporte militar juntamente com arco e flecha e corrida de carruagens.

O período de 770-481 a.C. foi chamado de Era da Primavera e do Outono. Durante esta época, o Kung Fu foi chamado de ch’uan yung, e a arte começou a florescer.

O período dos Estados Guerreiros (480-221 a.C.) produziu muitos estrategistas que enfatizavam a importância do Kung Fu na construção de um forte exército. Conforme mencionado no Sun-tzu (Livro das Guerra), “Exercícios de luta romana e ataque fortalecem o físico do guerreiro”. Dos notáveis mestres de Kung Fu em luta de espadas naquele tempo, muitos eram mulheres. Uma delas, Yuenu, foi convidada pelo Imperador Goujian, para expor suas teorias sobre a arte de esgrimista. O termo oficial para o Kung Fu naquela época era chi chi wu (os mesmos caracteres que os usados para o jujutsu japônes).

As dinastias Ch’in (221-206 a.C.) e Han (206 a.C. – 220 d.C.) presenciaram o crescimento de artes marcias como o shoubo (luta romana) e o jiaodi, uma contenda na qual os participantes se defrontam com chifres de boi nas cabeças. O Kung Fu passou a se chamar chi ch’iao. Várias novas armas foram incorporadas à arte, e o taoísmo começou a influenciar a filosofia de luta.

Na dinastia Chin (265-439 d.C.) e nas dinastias do Norte e do Sul (420-581 d.C.), um famoso médico e filósofo taoísta, integrou o Kung Fu com chi kung (execícios respiratórios, também chamados qigong). Suas teorias de poder interior e exterior ainda são respeitadas até hoje.

Ge Hong baseou-se muito na pesquisa de seu antecessor Hua T’o, que, durante o período dos Três Reinos (220-265 d.C.), criou um método de movimento e respiração chamado wu chien shi. Este incluía a imitação dos movimentos do pássaro, veado, urso, macaco e tigre. Dizia-se que Hua T’o recebeu ajuda de um sacerdote taoísta chamado Chin Ch’ien. As obras de Hua T’o e Ge Hong foram um marco do desenvolvimento de exercícios de Kung Fu.

O seguinte grande desenvolvimento da história do Kung Fu também veio durante as dinastias do Norte e do Sul: a chegada de Bodhidharma.

Nesse contexto histórico, o Kung Fu acabou sendo aprimorado, e a partir dele foram criados inúmeros estilos.

Estilo Águia – baseado nos movimentos da águia, este estilo é caracterizado pelo treinamento visando o fortalecimento dos dedos: polegar, indicador, médio e anelar. A técnica típica desse estilo torna o praticante especialista em torções.

Estilo Dragão – baseado nos poderes “incríveis” do dragão, a técnica desse estilo remete a movimentos longos, coerentes e contínuos, sendo os ataques mais comuns com o cotovelo, joelho, juntas e tornozelo.

Estilo Chin’Na – é um conjunto de técnicas que busca imobilizar, prender o adversário. Existem técnicas básicas e avançadas, como por exemplo, deslocando os ossos (Tsouh Guu).

Estilo Bêbado – técnica que utiliza chutes, semi-mortais, voadoras e rolamentos. Exige muita flexibilidade e agilidade, pois o praticante posiciona as mãos como se estivesse segurando um copo.

Estilo Garça Branca – combina chutes, ataques perigosos e torções em movimentos extremamente ágeis.

Estilo Macaco – baseado na força das pernas e nos saltos, este estilo tem como característica os movimentos que imitam os macacos.

Estilo Shaolin do Norte – tem como característica os ataques agressivos, chutes altos, agilidade e rapidez.

Estilo Leopardo – Seus movimentos são rápidos e poderosos, com ataque em pontos vitais utilizando o punho, semelhante a uma machadada.

Existem ainda os estilos: Choy Lay Fut, Wing Tsun, Fei Hok Phai, Serpente Divina, Hung Gar, Louva a Deus, Shuai Chiao, Lo han e Wu Shu.

No Kung Fu, podem ser utilizadas armas, que normalmente só podem ser usadas por aqueles que já apresentam uma boa agilidade com as mãos. São inúmeras armas, destacando-se:

Facão, San Tié Kan (três cabos ligados por correntes), Espada Imperial (reta), Bastão e Lança.

A prática busca desenvolver os reflexos, tornando-os cada vez mais rápidos, o equilibro, a consciência mental e física para a defesa pessoal e a coordenação.

Uma das celebridades mais importantes do Kung Fu, a nível mundial foi o produtor e ator de cinema Bruce Lee.

 

KUNG FU
Alunos 370
Sexo Feminino e Masculino
Fase e sua respectiva Faixa etária ·         Fase 1 – 6 a 10 anos;

·         Fase 2 – 11 a 13 anos;

·         Fase 3 – 14 a 17 anos;

·         Fase 4 – a partir de 18 anos.

Locais de atendimento ·         Academia de Artes Marciais – Jd. São Pedro;

·         Parque Municipal “Dom José” – Vila Porto;

·         Centro Comunitário do Parque dos Camargos;

·         Centro Esportivo do Engenho Novo;

·         EMEF “Marlene Pereira Santiago” – Parque Imperial;

·         EMEF “Elizabeth Parminondi Romero” – Jardim Graziela

Aulas semanais ·         02
Duração das aulas ·         60 min.
Objetivos Específicos Ø  Até 9 anos

·         Ênfase no desenvolvimento motor, introdução aos fundamentos básicos da modalidade;

Ø   10-13 anos

·         Desenvolvimento dos aspectos técnicos da modalidade, capacidades coordenativas e condicionantes;

Ø  14-15 anos

·          Formação técnica da modalidade, treinamento competitivo sistematizado, condicionamento físico;

Ø   16-17 anos

·         Treino técnico-tático especializado;

Ø  A partir de 18 anos

·         Formação técnica da modalidade.

Metas Quantitativas ·         Manter o atendimento de 6 oficinas, com 2 aulas semanais para 370 alunos.
Metas Qualitativas ·         Melhoria no acompanhamento quanto ao desenvolvimento, aperfeiçoamento e manutenção dos alunos: coordenação motora, fundamentos básicos e técnicos, capacidades coordenativas e condicionantes, defesa pessoal, treinamento sistematizado (prep. física), especialização de provas, regras/sistemas de competição.
Eventos ·         Festival Interno de Kung Fu;

·         Avaliações Técnicas semestrais;

·         Cerimônias de Entrega de Faixas

 

 

 

2018 – 1º SEMESTRE

 

 

                                                                                              KUNG FU
Alunos 370
Sexo Feminino e Masculino
Fase e sua respectiva Faixa etária ·         Fase 1 – 6 a 10 anos;

·         Fase 2 – 11 a 13 anos;

·         Fase 3 – 14 a 17 anos;

·         Fase 4 – a partir de 18 anos.

Locais de atendimento ·         Academia de Artes Marciais;

·         CIE – Centro de Iniciação Esportiva Jd. dos Altos;

·         Parque Municipal “Dom José”;

·         Centro Comunitário do Engenho Novo;

·         Centro Comunitario do Parque dos Camargos;

·         EMEF – Profa. Marlene Pereira Santiago – Pq. Imperial

·         EMEF – Profa. Elizabeth Parminondi – Jd. Graziela.

Aulas semanais ·         Academia de Artes Marciais e CIE – 3 aulas semanais;

·         Demais núcleos – 2 aulas semanais.

Duração das aulas ·         60 min
Objetivos Específicos Ø  Até 9 anos

·         Ênfase no desenvolvimento motor, introdução aos fundamentos básicos da modalidade;

Ø   10-13 anos

·         Desenvolvimento dos aspectos técnicos da modalidade, capacidades coordenativas e condicionantes;

Ø  14-15 anos

·          Formação técnica da modalidade, treinamento competitivo sistematizado, condicionamento físico;

Ø   16-17 anos

·         Treino técnico-tático especializado;

Ø  A partir de 18 anos

·         Formação técnica da modalidade.

Metas Quantitativas ·         Atendimento de 370 alunos em6 núcleos;

·         Atendimento de 4 turmas por núcleo;

·         1 à 3 aulas semanais por turma.

Metas Qualitativas ·         Manutenção do atendimento semanal por turma de iniciação;

·         Capacitações dos professores e técnicos da modalidade.

 

 

 

 

EQUIPE DE RENDIMENTO –KUNG FU
Alunos 30
Sexo Feminino e Masculino
Categoria e sua respectiva Faixa etária ·         Infantil – 7 a 11 anos;

·         Infanto/Juvenil – 12 a 14 anos;

·         Juvenil – 15 a 17 anos;

·         Adulto – a partir de 18 anos.

Locais de atendimento ·         Academia de Artes Marciais;

·         CIE – Centro de Iniciação Esportiva;

·         Arena Barueri / Sala de Condicionamento Físico – Jardim Belval.

Aulas semanais ·         Infantil – 3 aulas semanais;

·         Infanto-juvenil – 5 aulas semanais;

·         Juvenil e Adulto – 6 aulas semanais.

Duração dos treinos ·         120 min
Objetivos Específico ·         Conquista de 5 títulos paulista por categoria;

·         5 títulos brasileiros por categoria;

·         Classificação individual para o Campeonato Pan-americano.

Metas Quantitativas ·         Manter os 30 atletas federados nas categorias Infantil, Infanto-juvenil, Juvenil e Adulto;

·         Participação em 3 fases do Campeonato Paulista, visando classificação para as finais em 3 categorias;

·         Participação em 1 evento internacional;

·         Participação de 1 evento amistoso.

Metas Qualitativas ·         Incluir treinamento de força para todas as categorias de base;

·         Taolus com armas;

·         Convocação de 5atletas para Seleção Paulista;

·         Classificação de 1 atleta para 1 Campeonato Internacional;

·         Cursos de especialização para técnicos.

Competições previstas para 2018
Categoria Competição Prevista Período Previsto
Todas as Categorias ·         Seletivas para o Campeonato Paulista;

·         Campeonato Paulista (finais);

·         Campeonato Brasileiro;

·         Campeonato Internacional;

·         Copa Punho do Dragão.

A partir de fevereiro
Eventos ·         Torneio Integração (Início) – integração com as artes marciais;

·         Avaliações Técnicas;

·         Entrega de Faixas