VÔLEI

O voleibol foi criado nos Estados Unidos, no dia 9 de fevereiro de 1895, pelo diretor de educação física da ACM (Associação Cristã de Moços de Massachusetts) William George Morgan.

Ao inventar  o voleibol e suas regras, Morgan tinha como objetivo principal a criação de um esporte sem contato físico entre os jogadores. Desta forma, ele pretendia oferecer às pessoas (principalmente aos mais velhos) um esporte em que as lesões físicas, provocadas por choques entre pessoas, seriam raras.

Naquela época, o esporte da moda era o basquetebol, criado apenas quatro anos antes, mas que tivera uma rápida difusão. Era, no entanto, um jogo muito cansativo para pessoas de idade. Por sugestão do pastor Lawrence Rinder, Morgan idealizou um jogo menos fatigante para os associados mais velhos da ACM e colocou uma rede semelhante à de tênis, a uma altura de 1,98 metros, sobre a qual uma câmara de bola de basquete era batida, surgindo assim o jogo de vôlei.
Nos primeiros anos, o voleibol ainda não contava com uma bola específica, sendo praticado com uma câmara da bola de basquete. A rede era improvisada, a mesma usada nas partidas de tênis. Neste período, o esporte era conhecido por Mintonette. Com o passar do tempo, foi ganhando o nome popular de volleyball, que acabou se tornando oficial.

Em Springfield, o Dr. A.T. Halstead sugeriu que o seu nome fosse trocado para volley ball, tendo em vista que a idéia básica do jogo era jogar a bola de um lado para outro, por sobre a rede, com as mãos.
Em 1896, foi publicado o primeiro artigo sobre o volley ball, escrito por J.Y. Cameron na edição do “Physical Education” na cidade de Búfalo, Nova Iorque. Este artigo trazia um pequeno resumo sobre o jogo e de suas regras de maneira geral. No ano seguinte, estas regras foram incluídas oficialmente no primeiro handbook oficial da Liga Atlética da Associação Cristã de Moços da América do Norte.


 

No Brasil

Antes do estouro do voleibol no Brasil, durante os anos 1980, a Seleção Brasileira se resumia a um único grande jogador. A dinastia de Antônio Carlos Moreno durou 21 anos e 366 jogos. Uma trajetória exemplar, iniciada aos dezessete anos, em que ele disputou sete campeonatos sul-americanos e quatro jogos Pan-Americanos. Participou também de quatro mundiais e cinco Olimpíadas.

Nos esportes coletivos, a primeira medalha de ouro olímpica conquistada por um país lusófono foi obtida pela equipe masculina de vôlei do Brasil nos Jogos Olímpicos de Verão de 1992. A proeza se repetiu nos Jogos Olímpicos de Verão de 2004 e nos Jogos Olímpicos de Verão de 2008 foi a vez da seleção brasileira feminina ganhar a sua primeira medalha de ouro em Olimpíadas.

A Seleção Masculina de Voleibol do Brasil possui os dois recordes mundiais de público na história do voleibol: em 26 de Julho de 1983, no Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, 95 887 pessoas viram O Grande Desafio de Vôlei – Brasil X URSS, uma partida amistosa na qual o Brasil derrotou a então campeã olímpica e mundial, União Soviética, por 3-1, num recorde absoluto da história do esporte. No dia 6 de Julho de 1995, no Ginásio do Mineirinho, em Belo Horizonte, foi batido o recorde de público numa partidaindoor: 25 326 torcedores superlotaram o ginásio para ver a Itália bater o Brasil por 3-2, na fase decisiva de classificação para as finais da Liga Mundial daquele ano.

 

 

VOLEIBOL
Alunos 540
Sexo Feminino e Masculino
Fase e sua respectiva Faixa etária ·         Fase 1 – 7 a 10 anos;

·         Fase 2 – 11 a 13 anos;

·         Fase 3 – 14 a 17 anos.

Locais de atendimento ·         Centro Comunitário do Engenho Novo;

·         Centro Comunitário do Pq. Dos Camargos;

·         Centro Esportivo Engenho Novo;

·         Ginásio do Jd. Belval;

·         Ginásio do Jd. Maria Helena;

·         Ginásio do Jd. Mutinga;

·         Ginásio do Jd. Reginalice;

·         Ginásio Pq. Dos Camargos;

·         Ginásio Pq. Imperial;

·         Ginásio Pq. Viana.

Aulas semanais ·         02
Duração das aulas ·         60 min.
Objetivos Específicos Ø  O Voleibol tem como proposta desenvolver o indivíduo como um todo dentro do contexto da educação física oferecendo novas alternativas para a melhoria e diversificação das aulas e contribuir para a diminuição da evasão escolar. O aprendizado do Voleibol é apresentado como ferramenta educacional, através de uma metodologia inclusiva, que promove a valorização do indivíduo, levando seus praticantes ao desenvolvimento da auto-estima, cooperação, respeito, iniciativa e socialização. O Voleibol pode ser praticado por todos, crianças, jovens, adultos e terceira idade. Além dos aspectos psicomotores desenvolvidos pela sua prática, define-se a sua influência na melhoria das habilidades cognitivas e afetivas das crianças, tais como:

 

·         Desenvolvimento da comunicação: Os alunos devem saber explicar os conceitos tanto quanto executá-los;

·         Socialização: O voleibol requer uma cooperação constante, mesmo nos jogos adaptados 1×1. O aprendizado desde início exige interação entre parceiros e adversários;

·         Desenvolvimento emocional: Com a proposta do Mini voleibol que os alunos jogam sem árbitro, dando independência na conduta de todo jogo, promove e estabelece nas crianças um grande senso desportivo, confiança em si mesmo, controle de emoções, superação e responsabilidade;

·         Desenvolvimento mental: Elaborar estratégia, deslocar o adversário, antecipar jogadas, aprender a resolver problemas, administrar erros, lidar com adversidades e desenvolver a concentração por um longo período de tempo.

Objetivos Físicos Motores, (por faixa etária).

Ø  Idade de 07 a 10 anos

·         Combinação e aperfeiçoamento das habilidades motoras básicas;

·         Aprendizado da técnica básica;

·         Gesto motor global;

·         Melhoria da coordenação;

·         Extensão do repertório na formação esportiva.

Ø  Idade de 10 a 12 anos

·         Aperfeiçoamento da técnica do Voleibol– gesto motor adequado;

·         Noções simples de tática e estratégia;

·         Melhoria da coordenação;

·         Extensão do repertório na formação esportiva.

Ø  Idade 11/12 a 13/14 anos – meninas – 12/13 a 14/15 anos – meninos

·         Especificação do treinamento;

·         Manter a motivação.

Ø  Idade13/14 a 17/18 anos – meninas – 14/15 a 18/19 anos – meninos

·         Aperfeiçoamento de técnicas específicas do esporte;

·         Aquisição da condição específica da modalidade.

Ø  Objetivos Cognitivos

·         Capacidade de recepção;

·         Elaboração e armazenamento de informações afim de que a execução dos gestos motores objetive a eficiência de suas ações;

·         Espaço temporal;

·         Autonomia;

·         Percepção espacial.

Ø  Objetivos Sócios Afetivos

·         Ações interpessoais;

·         Relacionamento social;

·         Comunicação e expressão.

Metas Quantitativas ·         Atender 540 alunos;

·         03 turmas por período;

 

Metas Qualitativas ·         Melhorar a qualidade das aulas desenvolvidas;

·         Melhorar o processo de ensino aprendizagem das crianças e jovens envolvidos com o esporte;

·         Desenvolvimento da cidadania através do esporte como ferramenta sócio educacional;

·         Desenvolver uma linha pedagógica na perspectiva no Esporte Educacional.

Eventos ·         Festival Interno da Escola de Esportes;

·         Festival Inter-bairros;

·         Festival intermunicipal Iniciantes.

 

 


 

 2018 – 1º SEMESTRE

EQUIPE DE RENDIMENTO – VOLEIBOL
Alunos 92
Sexo Feminino e Voleibol Sentado Masculino
Categoria e sua respectiva Faixa etária ·         Sub 13 – 12 anos;

·         Sub 14 – 13 anos;

·         Sub 15 – 14 anos;

·         Sub 17– 15 a 16 anos;

·         Sub 19 – 17 a 18 anos

·         Vôlei Sentado Adulto – a partir de 18 anos.

Locais de atendimento ·         Ginásio do Jd. Belval,

·         Ginásio do Jd. Reginalice;

·         Centro Esportivo Engenho Novo

Aulas semanais ·         Das categorias de Sub13 a Sub 15 terão 3 treinos semanais;

·         A categoria Sub 17 terá 4 treinos semanais;

·         A categoria Sub 19 terá 5 treinos semanais;

·         Voleibol Sentado – Adulto Terá 3 treinos semanais.

Duração das aulas ·         120 minutos
Objetivos Específicos Ø  Sub 13

·         Aprendizado dos fundamentos, técnicas e táticas. Iniciação ao treinamento sistematizado e à competição. O objetivo técnico é dar oportunidade para que a atleta vivencie o maior número de posições e funções de quadra. No âmbito coletivo, a convivência e o estímulo do trabalho em grupo. Preparação física baseada no aumento do repertório motor e na condição física geral;

Ø  Sub 14

·         Aperfeiçoamento do repertório técnico. Aplicação de sistemas de jogos mais complexos, (6×2, 5×1). Preparação física ainda empenhada no aumento do repertório motor e efeitos coordenativos. Diagnosticar e corrigir possíveis falhas no aprendizado das técnicas e fundamentos;

Ø  Sub 15

Aumento da complexidade do jogo. Proporcionar a atleta, treinos e jogos que estimulem a tomada rápida de decisão e a compreensão da dinâmica do jogo. Preparação física com ênfase no aprendizado da execução de exercícios de força e potência;

Ø  Sub 17

Diagnóstico e correção das especializações que ocorreram nas fases anteriores. Início do treinamento de força propriamente dito;

Ø  Sub 19

Aumento significativo da velocidade e da força no jogo. Especialização das posições. Preparação física aprimorando os trabalhos de força, potência, e multi-saltos. No desenvolvimento sócio afetivo, a atleta começa a ser lapidada para o esporte de alto rendimento, suas cobranças e rotinas;

Ø  Vôlei Sentado

·         Divulgar a modalidade no município.

·         Atuar como agente de entretenimento da população, proporcionando espetáculos e bons exemplos de valores como superação e organização.

Metas Quantitativas ·         Desenvolver todas(quantas são?)as 06(?)categorias do voleibol feminino, de iniciantes ao adulto;

·         Participar em 7 competições oficiais da Federação Paulista de Voleibol , da Coordenadoria de Esportes do Estado de São Paulo e intercâmbios em torneios Intermunicipais e interestaduais.

·         Classificar-se entre as quatro primeiras em todas as competições da FPV;

·         Nos Jogos Regionais, obter classificação para os Jogos Abertos do Interior;

·         Nos Jogos Abertos do Interior, estar entre as três primeiras cidades na modalidade/categoria;

Metas Qualitativas ·         Ser reconhecida em âmbito Estadual e Nacional como equipes organizadas, estruturadas, competitivas e de ótima formação técnica;

·         Competir e representar nosso município em competições oficiais, buscando sempre resultados de destaque;

·         Não atuar somente como um time de voleibol, mas sim como uma escola, com características de excelência que representem um trabalho de alta qualidade e comprometimento com o desenvolvimento da modalidade;

·         Fomentar as seleções estaduais e nacionais, com alunos/atletas capazes e de ótima formação afetiva social.

Competições previstas para 2018  

Categoria Competição Prevista Período Previsto
Todas as Categorias de Voleibol Feminino ·         Torneios Oficiais Federação Paulista de Volleyball (Torneio Preparação, Metropolitano, Estadual, Copa Piratininga, Torneio Início);

·         Jogos Regionais;

·         Jogos Abertos do Interior;

·         Jogos da Juventude.

A partir de janeiro
Voleibol Sentado ·         Campeonato Paulista;

·         Campeonato Brasileiro;

·         Copa do Brasil;

·         Torneio Sergio Del Grande;

·         Festival de vôlei de Curitiba.

A partir de janeiro
Eventos ·         Torneio Início;

·         Festival de Escolas de Esportes;

·         Festival Inter Municipal

·         Torneio Preparação (finais)

·         Campeonato Estadual (finais)

·         Campeonato Metropolitano (finais)